quarta-feira, 11 de março de 2015

Professores paralisam na rede municipal e 60 mil estudantes ficam sem aulas em João Pessoa



Os professores da rede municipal de ensino de João Pessoa resolveram, em assembléia na tarde desta quarta-feira (11) iniciar uma greve. O movimento vinha paralisado desde a terça-feira (10) em advertência contra a prefeitura.
Segundo o presidente do Sindicato dos Funcionários da Educação de João Pessoa (Sintem), Daniel Assis, a paralisação segue até sexta-feira e a greve será oficializada a partir de segunda.

“A prefeitura adiou por duas vezes a audiência para enviar a contraproposta e ontem, na reunião eu tivemos, não apresentou nenhuma. Além disso, pediu para retornar a reunião hoje de manhã, mas não houve posicionamento”, revelou.

A categoria pede reajuste de 16%, retroativo a janeiro, para ativos e aposentados e atualização do pagamento do piso salarial nacional para os professores prestadores de serviço (PS) e reajuste no mesmo percentual na data base para os funcionários da educação.

“Considero que a prefeitura até agora não tem dado uma resposta às nossas reivindicações e a gente solicita ao prefeito que tenha sensibilidade e nos retorne com uma proposta que possa ser aprovada pelos professores. Não queremos estar com 60 mil estudantes paralisados e 8,5 mil funcionários de braços cruzados. Queremos uma resposta”, afirmou o dirigente.

Resposta da prefeitura - A Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), informou que tem uma negociação em andamento com os professores e servidores das escolas municipais. Durante a negociação foram ouvidas as solicitações dos professores, que atualmente recebem o segundo maior salário do Nordeste, e ficou acordado que a PMJP apresentaria uma proposta na próxima sexta-feira (13).

A reivindicação da categoria por ajuste salarial, veio no momento em que o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do Governo Federal, sofreu redução de 4,2%. Apesar disso, a Prefeitura se prontificou a apresentar contraproposta, mas os professores se anteciparam e deflagraram a greve antes da reunião acordada.

A reunião marcada para esta sexta-feira (13) entre a PMJP e categoria está mantida pela gestão municipal, assegurando o compromisso de dialogar com a categoria.

Para o professor, esta espera tão longa é motivo de preocupação. “Neste ano o Lema do PT é ‘Brasil, Pátria Educadora’. Queremos que este lema seja extensivo a João Pessoa. Sempre tivemos aumentos maiores ou iguais aos índices do MEC. Sempre recebemos propostas iguais ou maiores. O que estamos cobrando do prefeito é que esta valorização que vinha dos governos anteriores continue na sua gestão”, concluiu Daniel.

Fonte:

Calendário Escolar 2015

O Calendário Escolar de 2015, da Escola Municipal Índio Piragibe, localizada na  Rua Beatriz Maria de Oliveira, s/n, no Bairro Mangabeira VII, no município de João Pessoa, construído pela administração municipal, pelos responsáveis da Secretaria da Educação e Cultura.

Aqui o ano letivo é distribuído em Bimestres, algo diferente do Rio Grande do Sul, além do recesso escolar ser no final de junho, com uma explicação sensata, afinal as Festas de São João são vividas com muita atuação da sociedade.

 
Assim, ficou o Calendário 2015 assim:



Imagem: Cledir Rocha Pereira

terça-feira, 3 de março de 2015

Homenagem da Escola Miguel Gustavo 2014

Este foi meu último dia de atividades efetivas na Escola Estadual de Ensino Fundamental Miguel Gustavo, onde passei cerca de 1600 dias com um grupo de trabalho muito bom, onde tivemos desentendimentos sim, mas nada que não pode ser resolvido com o tempo.
Agradeço as trocas e o aprendizado que tive com o a Comunidade Escolar



Edição: Lisandra Steffen

Novos Olhares, Deasafios e Ações em 2015


O ano letivo de 2015, já se iniciou na Rede Municipal de João Pessoa. No último dia 02 de fevereiro voltou as aulas na Rede, onde eu, a partir da próxima quinta-feira iníci, como coloquei no título dessa reflexão, os novos olhares, desafios e ações. 

Certamente muitas caminhos novos terei que trilhar para entender melhor e me integrar na Educação de João "Linda" Pessoa, como costumo chamar essa terra onde o Rei Sol reluz cedo. 


Uma nova escola?  Posso dizer que um novo espaço de trabalho,  pois as escolas nesse país continental, são muito semelhante, principalmente no que tange o descaso dos nossos Governantes. 


Sabemos muito bem, por isso não nego (palavra essa estampada na bandeira da Paraíba) que a Educação em todas as estância, sempre será pessimamente administrada pela grande massa dos administradores públicos, afinal sempre será a plataforma das campanhas a cada ano eleitoral. 


Torço muito que eu esteja iniciando em uma realidade diferente dos já vividos nesses últimos 15 anos que tenho de Magistério.  Que a carência, a falta de entusiasmos, a pisoteamento na categoria, que recursos humanos e materiais existam sem precariedade na Escola para a qual fui designado no último dia 12 de fevereiro de 2015.


Empolgado estou sim, mas nada "Freireano", nada de muita filosofia educacional, mas sim com os pés firmes no chão para depois decolar com as ações construídas com o novo grupo de trabalho e nunca, nunca mesmo sozinho, pois a Escola não é feita por mim e sim por todos ligados profissionalmente e afetivamente com ela. 


Assim, vamos embarcar nas novidades e nos dias da Escola Municipal Índio Piragibe de Ensino Fundamental.